• Sífilis volta a ser epidemia no Brasil, casos registrados em Cotia crescem 23% com relação ao ano passado

    Por em novembro 5, 2017


    No período de 1º de janeiro a 30 de outubro foram notificados 96 casos em 2016 e 124 casos em 2017, um acréscimo de 23%, segundo informações da Secretaria de Saúde

    A sífilis voltou a ser epidemia no Brasil. De 2012 a 2015, o número de casos de sífilis aumentou 5.000%, segundo dados do Ministério da Saúde. Em Cotia, a Secretaria de Saúde garante que o trabalho de prevenção esta em dia. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, as palestras, distribuição de preservativos e folders sobre a doença, tem alertado a população sobre os cuidados com a sífilis. Para se consultar e tirar dúvidas, você pode procurar o SAE – Serviço de Atendimento Especializado que faz o teste rápido e gratuito da doença. O SAE fica na Avenida Rotary, 40, Jardim Nomura. No exame de Papanicolau é possível detectar a sífilis primária. O tratamento da doença é feito na própria unidade de saúde.

    A Sífilis é uma Doença Sexualmente Transmissível, transmitida por contato sexual (vaginal, oral e anal) causada pela presença da bactéria Treponema pallidum. A doença não escolhe idade, sexo ou classe social, portanto toda população sexualmente ativa sem uso de método sem proteção (preservativo), esta exposta e com risco em adquiri-la. As gestantes podem transmitir a sífilis para o bebê durante a gravidez, situação que desperta a importância do início precoce do pré-natal.

    O uso de preservativo durante a relação sexual é a principal forma de prevenção dessa e de outras doenças sexualmente transmissíveis.

    A Campanha Fique Sabendo do Ministério da Saúde também ajuda na prevenção. Do dia 27 de novembro ao dia 1º de dezembro testes rápidos serão feitos em todas as Unidades Básicas de Saúde do município. É a hora de tirar a dúvida e iniciar o tratamento.

    Consequências graves

    Apesar de ter fácil diagnóstico (por meio de um exame de sangue ou da raspagem da ferida que aparece na primeira fase da doença) e tratamento baseado em aplicações de penicilina, que curam rapidamente os pacientes em fases iniciais, a sífilis pode trazer graves consequências se não for tratada.

    — A doença desenvolve lesões na pele, nos ossos, nas articulações, podendo causar aneurisma, meningite paralisia geral e demência
    — Infecções congênitas (passadas das mães para o bebê) acarretam alta morbidade abortamento, prematuridade e baixo peso de nascimento, deformações ósseas, articulares e neurológicas como meningite, surdez e dificuldade de aprendizado

    Redação
    Redação
    View all posts by Redação
    Redaçãos website

    Deixe seu comentário