• Nutrição e saúde: como se alimentar bem fora de casa

    Por em abril 7, 2017


    Nutricionista dá dicas de como se comportar sem exageros em restaurantes com culinárias diferentes

    Na hora de fazer uma refeição fora de casa, seja na correria do dia a dia ou para celebrar um momento especial, muita gente acaba cometendo excessos na alimentação. A nutricionista do Hospital Nossa Senhora das Graças, Maria Inez Fuentes, diz que tudo começa com a escolha do tipo de restaurante e dá dicas de como optar por refeições mais saudáveis em restaurantes.

    RESTAURANTES QUE SERVEM A LA CARTE

    Em um restaurante a la carte, por exemplo, alguns alimentos são mais calóricos, não podendo ser substituídos, por serem de pratos fixos. Segundo Maria Inez, antes de fazer o pedido é sempre muito importante analisar todas as preparações que são oferecidas. “O ideal é primeiramente se servir de saladas e temperá-las o mínimo possível. Cuidado com as preparações não saudáveis que normalmente estão disponíveis no cardápio, como frituras, conservas ou ainda temperos prontos”, alerta.

    Outra dica é escolher pratos que são preparados na forma cozida, assada ou grelhada e optar por apenas um tipo de carboidrato. “Prefira massas cozidas ou assadas e integrais, mas se optar pelas refinadas prefira uma porção pequena”, comenta a nutricionista.

    RESTAURANTE ITALIANO

    Nos restaurantes italianos as refeições são mais calóricas.“Prefira macarrão, pães e pizzas com recheios de carnes magras, queijos brancos e pouco óleo ou manteiga. E massas que são  reparadas com temperos naturais, evitando temperos prontos e ricos em sódio”, recomenda Maria Inez. Em pizzarias, a preferência deve ser por recheios que incluam legumes, vegetais ou frutas. Deve-se evitar recheios com embutidos como linguiça, bacon, salame e presunto, adicionados de queijos como catupiry, cheddar, provolone e gorgonzola.

    Já a massa, quanto mais fina, melhor. “Algumas pizzarias já disponibilizam massas 100%  integrais, que são mais saudáveis e ricas em fibras, que auxiliam no funcionamento intestinal”, conta.

    CHURRASCARIA

    Com tantas variedades de carnes, em uma churrascaria, a dica da nutricionista é não estar em jejum prolongado e começar pelas saladas. “É importante também evitar carnes com gorduras aparentes, embutidos como linguiça, bacon, calabresa, e massas ao molho de queijo. E preferir preparações integrais, carnes magras, legumes e vegetais”, ressalta. Na hora da sobremesa, uma boa opção é escolher uma opção mais saudável, como a salada de frutas.

    Para quem não dispensa o abacaxi que acompanha as carnes, a nutricionista faz um alerta. “O abacaxi in natura é uma ótima opção, pois tem bromelina, que é uma enzima que favorece o processo de digestão. Porém, é preciso ter moderação já que na maioria das vezes ele passa por um processo que leva açúcar refinado na sua preparação, deixando-o mais calórico”, assegura.

    RESTAURANTE JAPONÊS

    Para quem acha que indo em restaurante japonês poderá comer à vontade, fica o aviso de que o equilíbrio também é necessário nessa gastronomia. “A culinária japonesa possui alimentos saudáveis como legumes, vegetais, frutas e peixes, porém apresenta fontes de carboidratos, como macarrão e arroz, sendo a base dos pratos, além de frituras com gorduras em imersão e o molho shoyu, que é rico em sódio e, por isso, deve ser consumido com moderação”, revela a nutricionista.

    RESTAURANTE MEXICANO

    Quando a gastronomia é mexicana o cuidado deve ser redobrado, afinal utiliza-se muito queijo, sal e temperos industrializados. “Um dos queijos mais calóricos é o cheddar, rico em gordura saturada, que contribui para o aumento da pressão sanguínea e favorecimento de

    doenças cardiovasculares. É bom ter cautela e lembrar que quanto mais amarelo for a coloração do queijo, mais gordura sua composição terá”, adverte.

    Outra questão para ser observada na culinária mexicana é a pimenta. Para quem tem problemas gástricos os pratos podem representar um problema sério. “A pimenta promove maior acidez gástrica e, com isso, pode aumentar a sensibilidade da mucosa do estômago, favorecendo o surgimento de gastrite ou úlcera”, indica.

    HAPPY HOUR

    Em um happy hour com amigos, é muito comum ter batatas, cervejas, conservas e petiscos, tudo muito rico em sódio e gordura. A dra. Maria Inez adverte que é preciso ter muito cuidado. “Esses alimentos possuem calorias vazias, ou seja, são alimentos hipercalóricos e com baixo teor de nutrientes, além de serem ricos em sódio e gordura saturada. A dica é preferir preparações assadas com proteínas magras e vegetais, como exemplo o bolinho de carne assado e pães assados com gergelim”, diz.

    Redação
    Redação
    View all posts by Redação
    Redaçãos website

    Deixe seu comentário