Aterro embargado na Tabuleiro Verde

  • PDF

Mais um capítulo no drama dos moradores da Estrada do Tabuleiro Verde nesta quinta e sexta. Após protestos, inclusive com bloqueio da via, a prefeitura embargou os dois aterros que  ocorrem na região.

Um dos aterros, de um condomínio, foi embargado e posteriormente liberado, após os responsáveis pelas obras assinarem um TAC - Termo de Ajustamento de Conduta. O outro continua embargado. O cotiatododia publicou na quarta-feira o drama dos moradores com a situação precária que se encontra a estrada, causada pelo tráfego intenso de caminhões basculantes carregando terra para o aterro de uma futura obra e outro de um condomínio em construção.

A prefeitura ficou de tomar providências, mas, na manhã desta quinta-feira, moradores resolveram colocar seus veículos na entrada de um dos aterros, bloqueando o acesso dos caminhões.

Os caminhoneiros e pessoas ligadas à construção do condomínio fizeram ameaças aos moradores: “Eles falaram que nós não sabíamos com quem estávamos mexendo e fizeram outras ameaças”, contou uma das moradoras.

A Guarda Civil foi acionada pelos manifestantes e ao chegarem ao local e se inteirarem do caso, os guardas pediram que os caminhões parassem de circular. Momentos depois, uma máquina da empresa que faz um dos aterros começou a limpar a estrada.

Nesta sexta-feira, o secretário de Habitação e Urbanismo, José Lopes Filho, foi aos dois locais e embargou as obras.

Por volta do meio-dia, um dos moradores passou pelo aterro próximo à Estrada do Morro Grande e não havia movimentação de máquinas e os caminhões estavam parados.

O mesmo morador informou que os caminhões que vinham de São Paulo mudaram o itinerário e começaram a seguir sentido Morro Grande, mas não soube dizer se estavam descarregando a terra em outro local.

O advogado da Secretaria de Habitação, André Luis Escolástico, falou com nossa reportagem por volta das 17 horas e confirmou que a obra do condomínio foi desembargada agora à tarde.

Os responsáveis se comprometeram a arrumar a estrada e fazer manutenção diária durante as obras. Ao final da obra do condomínio, a empresa terá que fazer melhorias na Estrada do Tabuleiro Verde.

 

Fotos enviadas pelos moradores

 

 

Comentários  

 
-2 #5 Ricardo Bath Crespo 03-07-2012 09:42
Então está tudo dominado !!!
Se não existe meio para coibir com a farra da Prefeitura e dos Condominios, se não temos mais como estancar o desmatamento criminoso na Região só nos resta ir embora de Cotia ! Ou seja a má moeda expulsa a boa moeda ! E vida longa para os criminosos !
desisto, não acredito mais no Poder Publico!
 
 
0 #4 Dora Tschirner 02-07-2012 09:31
Citando Ricardo Bath Crespo:
Parece que os moradores não sabem mesmo com quem estão mechendo ,....areas consideradas de preservação ambiental (APA)

Ricardo, nem a PGE e nem a PF poderão interferir diretamente nessas licenças. Em geral dependendo da área e tamanho do empreendimento, havendo inpactos relevantes, serão licenciados pela CETESB, e se em APP's terão que cumprir as compensações exigidas, mas dificilmente haverá impedimentos sobre toda a área. Tais licenças podem ser questionadas por qualquer cidadão e se não atende às legislações, devem ser denunciados ao MP e monitorar o andamento do processo. IBAMA também não vai interferir em obras municipais, somente se for obra federal e caso ocorra em divisas de Estados e municípios
 
 
-1 #3 Ricardo Bath Crespo 30-06-2012 10:04
Parece que os moradores não sabem mesmo com quem estão mechendo ,pois como por um passo de mágica já condseguiram suspender o embargo de um dos aterros .Acredito que a Procurdoria Geral do Estado e a Polícia Federal deva acionar a Procuradoria de Cotia e exigir explicações quanto a autorização de implantação de condominios em areas consideradas de preservação ambiental (APA)
 
 
+5 #2 Regina Tavares 30-06-2012 06:19
Ao invés dos senhores vereadores perderem tempo pensando em quem indicarão para receber o título de Cidadão Cotiano e fazer apostas para ver quem receberá mais votos na próxima eleição bem que poderiam propor uma lei que exigisse dos responsáveis das obras a manutenção e reparo das vias que usam para transporte de material e afins.
Embargo de obra em Cotia é piada, dura algumas horinhas e Palavra ofencivapre acaba em pizza.
É preciso chegar ao ponto de estresse máximo da população para resolver o problema?
Acorda, Cotia, campanha VOTO NULO!!!
 
 
+1 #1 Dora Tschirner 29-06-2012 17:53
Só mesmo colocando os empreendedores na parede e mediante embargo, eles correm para resolver. Não precisava chegar ao ponto que chegou, se houvesse bom senso. Veículos de porte grande (basculantes) passam Palavra ofenciva nenhum problema sobre o barreiro, mas veículos menores e pedestres muitas vezes não tem escape. Vale também para buracos profundos. Seria importante que a SEHAB percorresse a cada 15 dias todas as regiões onde há obras deste porte. Assim evitará a degradação das vias e a cobrança às emrpesas para sua manutenção.
 

Câmera Raposo »

Câmera Raposo tavares
D.E.R. - VIA OESTE

Tempo em Cotia »

Climatempo
Climatempo

Mapa de Cotia »

Google Maps
Google Maps

Finanças »

Indices Econômicos
Bovespa

Telefones Úteis »

Avatar
Serv. Emergência