• Fabinho Zabumbão, afilhado de Dominguinhos, se apresenta em Cotia pela primeira vez, neste sábado

    Por em dezembro 7, 2017
    Foto: Divulgação

    Fabinho Zabumbão (Foto: Divulgação)

    O forrozeiro Fabinho trabalhou 15 anos com Dominguinhos e agora em carreira com o Trio Zabumbão, se apresenta neste sábado, na 1º Virada Multicultural no Centro de Cotia.

    Em um sábado com diversas atividades e artistas, a 1° Virada Multicultural terá a honra de receber o Trio Zabumbão, formado pelo Fabinho, afilhado de de Dominguinhos, a partir das 16h na Av. Senador Feijó – região conhecida com o Calçadão, no Centro de Cotia. Além da agitação do forró pé de serra com músicas autorais, Fabinho Zabumbão faz questão de homenagear o Luiz Gonzaga, que faria aniversário de 100 anos no dia 13 de dezembro.

    Carreira com Dominguinhos

    O cantor, compositor e percussionista, Fabio Freire, mais conhecido como Fabinho Zabumbão, nasceu na Paraíba e veio morar em Cotia em 1995. O forrozeiro, nasceu em 1978 com o DNA de músico, aos 8 anos inciou sua carreira.Hoje, aos 39 anos consolida a carreira com uma homenagem ao Lua (Luiz Gonzaga), seu inspirador e vai apresentar com exclusividade no próximo sábado ao público de Cotia. 

    Fabinho, foi criado por um pai talentoso, sambista e forrozeiro, e seguiu seu caminho no mundo da música, ganhou os palcos com shows importantes desde muito novo, além da ajuda do tio sanfoneiro. Foi numa turnê em Salvador – BA, em 1998, durante um show do Dominguinhos, que estava à procura por um novo cantor para formar a banda, e aí,  alguns amigos da música o indicaram.

    Fabinho e Dominguinhos (Foto: Arquivo Pessoal/Fabinho Zabumbão)

    Fabinho e Dominguinhos (Foto: Arquivo Pessoal/Fabinho Zabumbão)

    Devido ao medo em andar de avião, depois de um voô com turbulência, que quase caiu em 1989, Dominguinhos  decidiu viajar de carro para fazer os shows junto com dois músicos, enquanto a banda podia voar. Suas viagens de carro dificultava a quantidade de shows por mês, chegando a ficar, às vezes, até dois finais de semana sem subir em palco, o que levou os músicos a criarem projetos musicais paralelos.

    Mas apesar do ritmo menor, a banda de Dominguinhos  continou a viajar o país inteiro com seus shows. E Fabinho sempre presente.

    Valdonis cantor e Sanfoneiro do Ceará, Fabinho e Dominguinhos (Foto: Arquivo pessoal/ Fabinho Zabumbão)

    Valdonis, cantor e Sanfoneiro do Ceará, Fabinho e Dominguinhos (Foto: Arquivo pessoal/ Fabinho Zabumbão)

    Dominguinhos nunca veio a Cotia, devido às tantas correrias, mesmo tendo marcado por diversas ocasiões. “Uma vez – segundo Fabinho –  minha ex-mulher chegou a fazer toda a comida, o peixe que tanto gostava, e ele teve que desmarcar em cima da hora porque sua filha tinha passado mal”. No outro dia em que se encontraram, Dominguinhos entregou R$ 400 para como pedido desculpas pela falta, mas nem imaginava que ela já havia mandado entregar a comida pra ele, com o peixe que tanto queria comer. Muito humilde, prestativo como sempre, agradeceu.

    Em 2012, Fabinho e Dominguinhos gravaram um CD em homenagem a Luiz Gonzaga, e logo depois do último show à homenagem, Dominguinhos adoeceu. Antes de falecer, em 2013, Dominguinhos lhe deu dois chapéus como presente, que sempre usou ao subir aos palcos. Uma relíquia, “Vou colocar dentro de uma caixa de vidro”, homenagea o amigo e ídolo. Mas antes de guardar os chapéus, ele promete que vai usar um deles no dia da Virada Multicultural, no Centro de Cotia.

    Dois chapéus que Fabinho foi presenteado pelo Dominguinhos (Foto: cotiatododia)

    Dois chapéus que Fabinho foi presenteado por Dominguinhos (Foto: cotiatododia)

    Fabinho também trabalhou por 4 anos com a  Elba Ramalho, lembra de como ela agitava todo lugar que passava, e sempre dava a festa de final de ano na casa dela na Bahia. Diversos artistas famosos como Caetano Veloso e Gilberto Gil, se encontravam lá. “De vez em quando ela, Elba, me liga, ou eu ligo pra ela, ainda conversamos muito”.

    Trio Zabumbão

    Prestes a lançar o quarto disco nas plataformas digitais, o Trio Zabumbão já se prepara para uma turnê nacional em 2018. Mesmo com tantas viagens, Fabinho sente falta de maior participação em Cotia, o que o motivou aceitar o convite da Secretaria de Esportes, Cultura e Lazer feita pelo Secretário Gilmar de Almeida, para tocar e cantar na 1º Virada Multicultural da cidade.

    Prêmio MCEYS, recebido na Câmara Municipal de São Paulo, em categoria artística. (Foto: Arquivo pessoal/ Fabinho Zabumbão

    Prêmio MCEYS, recebido na Câmara Municipal de São Paulo, em categoria artística. (Foto: Arquivo pessoal/ Fabinho Zabumbão

    Fabinho Zabumbão já ganhou diversos prêmios na categoria artística/musical, reconhecido nacionalmente entre os forrozeiros raíz. O último, ele foi dado pela Câmara Municipal de São Paulo na categoria de importância artística, este ano, idealizado pelo Manoel Henry Moreira, Prêmio MCEYS Qualidade Brasil.

    Show do Trio Zabumbão na casa de forró, Canto da Ema, em São Paulo. (Foto: Arquivo pessoal/ Fabinho Zabumbão)

    Show do Trio Zabumbão na casa de forró, Canto da Ema, em São Paulo. (Foto: Arquivo pessoal/ Fabinho Zabumbão)

    O primeiro sanfoneiro do Trio Zabumbão atuou no filme Gonzaga, de Pai para Filho, após ser selecionado entre 5.000 inscritos, e hoje segue uma carreira solo incrível, muito agradecido pelo apoio de Fabinho, que o incentivou a deixar a banda para aproveitar a oportunidade. Hoje, apesar do nome “Trio”, a banda é formada por quatro integrantes que fazem um verdadeiro forró pé de serra, com participação de uma das suas filhas, conhecida como Fran do agogo, Léo da Safona e preguinho Paraíba no triângulo.

    Para entrar em contato, faze agendamento ou ter mais informações, Fabinho se põe a disposição pelo seu whatsapp: 11 99773 4672

    Halitane Rocha
    Halitane Rocha
    View all posts by Halitane Rocha
    Halitanes website

    Deixe seu comentário