Entenda a doença que pode deixar Renata Banhara sem movimentos em parte do rosto

Por em abril 18, 2017


Após tratamento de canal, modelo e atriz ficou anos com dores de cabeça provocada por bactéria que se alojou no dente e depois no cérebro

A internação e o grave estado de saúde da atriz e modelo Renata Banhara na última semana ganhou repercussão na imprensa. A atriz está internada no Hospital Albert Einsten, em São Paulo, desde o dia último dia 5.

Segundo a assessoria da modelo e atriz, ela vinha sentido dores de cabeça há anos, desde que fez um canal em um dos dentes. Após o tratamento, a bactéria Streptococcus anginosus se alojou no dente e provocou uma infecção, se espalhou pelo seio da face e se alojou no cérebro.

“A bactéria  Streptococcus anginosus é uma das muitas que fazem parte da flora bucal , porém é capaz de provocar graves complicações e normalmente  está presente em infecções do trato gástrico incluindo garganta e cavidade oral”, explica o cirurgião dentista doutor Alex Precioso.

“Pelo que acompanhei, Renata Banhara pode ter tido uma infecção crônica na região da maxila após tratar um canal, que pode ter persistindo  e como não provocou dor, ficou ali, de forma crônica, e como toda infecção, mesmo que não tenha dor, evolui”.

O cirurgião explica que quando se tem um processo infeccioso, muitas vezes após manipulá-lo ele pode entrar na corrente sanguínea e provocar nova infecção a distância. “E essa bactéria tem uma capacidade muito grande de formar abscesso (acúmulo de pus) em outras regiões. Qualquer infecção não cuidada pode ocasionar esse tipo de coisa”.

Renata Banhara, segue internada após infecção por conta de bactéria que teria se alojado no dente após tratamento de canal e pode ficar com parte do rosto paralisado (Reprodução do Facebook)

Renata Banhara, segue internada após infecção por conta de bactéria que teria se alojado no dente após tratamento de canal e pode ficar com parte do rosto paralisado (Reprodução do Facebook)

No caso de Renata Banhara, segundo sua assessoria de imprensa, ela foi submetida a duas cirurgias, uma na parte direita no tecido interno próximo a orelha e olhos;  ao recolher o material foi identificado que as bactérias haviam afetado o nervo. A  segunda cirurgia no lado oposto do rosto (lado esquerdo), para a retirada de toda bactéria que estava alojada próximo ao dente onde tudo iniciou ocasionando a sinusite a qual foi solucionada durante a cirurgia, permanecendo ainda as fortes dores que as bactérias comprometeram no nervo do rosto e da cabeça.

Doutor Alex, com mais de 30 anos de profissão explica que a melhor forma de prevenir esse tipo de problema, que muitas vezes pode levar à morte,  é ficar atento a qualquer anormalidade e inflamações, mesmo que não provoquem dor merecem atenção. “É muito comum as pessoas largarem problemas bucais pra trás porque não tem dor e  normalmente processos inflamatórios simples de serem tratados como uma gengivite, periodontite são repletos de bactérias oportunistas”, explicou.

“O grande detalhe é que temos a corrente sanguínea por onde circula coisa boa e coisa ruim”, diz o cirurgião dentista exemplificando com outro problema que requer atenção no consultório dentário, a endocardite bacteriana. Ele explica que existe outro tipo de bactéria com potencial muito grande de infectar  válvulas cardíacas e ao fazer qualquer procedimento na boca que possa envolver sangue, é preciso muito cuidado, “porque se a pessoa tiver alguma infecção e nessa região tiver alguma bactéria desse tipo, ela pode entrar na corrente sanguínea e desenvolver um processo infeccioso no coração, principalmente se o paciente tiver alguma cardiopatia.

Doutor Alex Precioso, cirurgião dentista, atende em consultório em Cotia e alerta que mesmo quando não há dor é  preciso ficar atendo a qualquer sinal  (Divulgação)

Doutor Alex Precioso, cirurgião dentista, atende em consultório em Cotia e alerta que mesmo quando não há dor é preciso ficar atendo a qualquer sinal (Divulgação)

Por fim o cirurgião comenta que casos como o de Banhara que acabam ganhando repercussão na imprensa servem de alerta “porque as pessoas só tem medo de morrer”. “É muito importante as pessoas entenderem que a dor não é o fator principal para que a gente [profissionais da saúde] atue. Às vezes detectamos algum problema e dizemos ao paciente mas como não sente dor, vai deixando pra lá e o resultado pode ser perigoso ou até irreversível.”

“Felizmente, no caso de Banhara tudo foi resolvido e ela não corre risco de morte,  porém após a identificação da bactéria que acabou afetando o nervo facial do lado direito e que os médicos tiveram que remover o tecido infectado, corre-se o risco de Banhara ficar com paralisia facial, perdendo os movimentos adequados da região da sobrancelha.

Nesta segunda-feira (17) a modelo segue internada sentindo muitas dores apesar de estar reagindo bem aos antibióticos, informou a assessoria de imprensa da modelo.

Redação
Redação
View all posts by Redação
Redaçãos website

Deixe seu comentário